terça-feira, 23 de maio de 2017

César Vanucci -Presidente da AMULMIG-Palestrante dia 23-05-2017




CONVITE
ACADEMIA MUNICIPALISTA DE LETRAS-BELO HORIZONTE

ASSUNTO >
Convite para palestra no dia 23 de maio, na AMULMIG.


Conto com o prestigio de sua presença na palestra que vou proferir, terça-feira, dia 23 (vinte e três) de maio, às 15 horas (três horas da tarde), na AMULMIG, sobre o tema "O idioma como instrumento de integração nacional".
Abraço cordial, 
Cesar Vanucci

(Amulmig: Rua Agripa de Vasconcelos, 81 - alto das Mangabeiras, próximo à praça do Papa)


-





http://www.uai.com.br/app/noticia/e-mais/2015/09/16/noticia-e-mais,171819/jornalista-cesar-vanucci-autografa-seu-novo-livro-em-bh.shtml

-





RECORDANDO:

César Vanucci-biografia

O jornalista Cesar Vanucci assume na próxima terça-feira, dia 19, o cargo de Presidente da tradicional Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais. A solenidade de posse está prevista, na data mencionada, para as 16 (dezesseis) horas, na sede da Amulmig, Rua Agripa de Vasconcelos, 81, Alto das Mangabeiras, próximo à praça do Papa, devendo reunir numerosos representantes de órgãos culturais e autoridades.

Vanucci foi indicado pela unanimidade dos integrantes da instituição presentes à assembleia especialmente convocada para escolha da diretoria que regerá os destinos da Amulmig no biênio 2016/2018. Atuando há décadas na área cultural, Vanucci é fundador da Academia de Letras do Triangulo Mineiro e foi Superintendente Geral do Sistema Fiemg por quase quarenta anos. Idealizou e coordenou a famosa “Ação Global”, sendo fundador da Casfam – Fundo de Pensão dos Funcionários do Sistema Fiemg. Presidiu a Utramig – Universidade do Trabalho de Minas Gerais, foi Secretário de Abastecimento e Ouvidor Geral da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. Assessorou, na vice-Presidência da República e no Senado Federal, o saudoso José Alencar Gomes da Silva. É cidadão honorário de treze municípios, inclusive Belo Horizonte. Sua produção cultural compreende vários livros, centenas de palestras, atuação como professor de nível universitário e nível médio. É colaborador permanente de vários jornais e revistas há mais de meio século.



---------------------------*------------------------

2-César Vanucci 2

Cesar Vanucci nasceu em Pouso Alegre (MG). 
Em Uberaba, ainda como estudante secundarista, revelou-se participativo, dinâmico e cheio de iniciativas. 
Foi um dos fundadores e presidentes da União Estudantil Uberabense (U.E.U.) e um dos organizadores e presidente dcs três Festivais Universitários de Arte realizados em Uberaba, na década de 1950. Além disso, promoveu, participou e incentivou movimentos religiosos, culturais e classistas. 
Prestou colaboração na Biblioteca Pública Municipal de Uberaba, auxiliando a bibliotecária, jornalista e escritora Iná de Sousa, na década de 1950.
Foi repórter de O Triângulo, redator da Rádio Difusora e do Diário do Triângulo e editor-chefe do Correio Católico. 
Lecionou jornalismo na FISTA e foi um dos fundadores, diretor e professor do Colégio São Judas Tadeu, atual colégio Rubem Alves. 
Em Belo Horizonte, para onde se transferiu em 1966, ocupou inúmeros cargos, entre eles Superintendente Geral da FIEMG e diretor da Rede Minas de Televisão. Criou, como diretor do SESI, o famoso programa "Ação Global". 
Foi titular da Secretaria Municipal de Abastecimento e da Ouvidoria Geral de Belo Horizonte (2006-2009). 
Colabora com treze jornais. É cidadão honorário de onze municípios. 
É membro da Academia de Letras do Triângulo Mineiro, Cadeira nº 9, sendo um de seus fundadores; da Academia Mineira de Leonismo e da Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais.

Paolinelli, Sônia Maria Rezende. Coletânea Biográfica de Escritores Uberabenses. Uberaba (MG): Sociedade Amigos da Biblioteca Pública Municipal “Bernardo Guimarães”, 2009. 58 p
Fonte:


https://www.facebook.com/UberabaemFotos/photos/a.428617477227426.1073741826.421925791229928/877647175657785/?type=1&theater
-//-


LÍNGUA PORTUGUESA.
Soneto Decassílabo Heroico Nº 839

Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil

A Língua Portu(gue)sa de Ca(mões),
Machado de Assis-(Gê)nios do sa(ber)
inteira luz gi(gan)te entre as na(ções)
conduz valor can(tan)te em cada (Ser.)

Impõe respeito, (gló)rias nas li(ções)!
Linguagem pura (cum)pre seu de(ver),
razão perfeita im(pe)de os arra(nhões),
palavra forte, i(ma)gem de po(der).

No linguajar que (fi)no trato al(can)ça
na mente mostra (fúl)gidos le(trei)ros,
reparte a bela (Flor) do Lácio-he(ran)ça.

Sonora e rica (bri)lha pelo (mun)do
e tem na escrita (bra)dos alta(nei)ros:
- Tesouro raro (tem) valor pro(fun)do

-


sábado, 20 de maio de 2017

Ação penal 6 - Ação penal e lei maria da penha- Defensor Público e prof...

Prisão Preventiva na Lei Maria da Penha - Conflito de Leis.

Lei Maria da Penha, dez anos depois


-

Publicado em 13 de ago de 2016
Até 2006, a voz do homem era a mais alta em muitos lares brasileiros. E a mão, a mais pesada. Nos últimos dez anos, a voz e a mão podem ter se mantido as mesmas, só que a mulher tem uma lei para recorrer contra o grito, o assédio psicológico, a agressão física. A restauradora de obras de arte Ana Lúcia Pecoraro mostra o rosto e conta sua história de violência. E dispara a primeira polêmica para o Caminhos da Reportagem: “a lei Maria da Penha deveria ser contra a violência doméstica, da intimidade da sociedade, onde filhos veem um pai bater na mãe e homens também são agredidos.”
A discussão segue entre feministas, agressores, um homem agredido pela mulher e especialistas que traçam o mapa da violência no país, que contabiliza 50 vezes mais homicídios de mulheres do que países desenvolvidos. O Caminhos ouviu mulheres de todas as faixas sociais, vítimas ou não de violência doméstica, para mostrar o que a sociedade e o Estado devem fazer para fazer a lei Maria da Penha ser bonita no papel e fora dele.

Como garantir a proteção da mulher que denunciou? Como denunciar em uma delegacia fechada à noite e nos fins de semana? Onde deixar os filhos quando a vítima vai para um abrigo? São perguntas que a sociedade e o Estado têm de responder quando surgem as brechas da lei.
Reportagem: Priscila Kerche
Produção: Aline Beckstein, Eduardo Goulart de Andrade, Thaís Rosa, Allan Correia (estagiário)
Apoio à produção: Antonio Azevedo (EBC – Maranhão), Emanuel Bruno (TV Ceará), Francisco José (TV Ceará), Joana Cortes, Nerivan Ramos (EBC – Maranhão), Patrícia Lima, Paula Abritta, Sarah Quines, Tatiane Costa (EBC – Maranhão)
Imagens: Eduardo Viné, Milene Nunes, João Marcos Barbosa
Auxílio técnico: Edgar Monteiro, João Batista de Lima, Leandro de Oliveira
Apoio às imagens: Daniel Teixeira, Edivan Viana, Jefferson Pastori, Rafael de Carvalho, Rogério Verçosa, Sandro Tebaldi, William Sales
Apoio operacional: Antonio Blanes, Carlos Gigliotti, Guilherme Scarazatto, Leticia Botelho, Priscila Stibich, Rafael Costa
Edição de imagens e finalização: Jéssica Saccól, Maikon Matuyama, Rodger Kenzo
Roteiro e direção: Bianca Vasconcellos