terça-feira, 23 de maio de 2017

César Vanucci -Presidente da AMULMIG-Palestrante dia 23-05-2017




CONVITE
ACADEMIA MUNICIPALISTA DE LETRAS-BELO HORIZONTE

ASSUNTO >
Convite para palestra no dia 23 de maio, na AMULMIG.


Conto com o prestigio de sua presença na palestra que vou proferir, terça-feira, dia 23 (vinte e três) de maio, às 15 horas (três horas da tarde), na AMULMIG, sobre o tema "O idioma como instrumento de integração nacional".
Abraço cordial, 
Cesar Vanucci

(Amulmig: Rua Agripa de Vasconcelos, 81 - alto das Mangabeiras, próximo à praça do Papa)


-





http://www.uai.com.br/app/noticia/e-mais/2015/09/16/noticia-e-mais,171819/jornalista-cesar-vanucci-autografa-seu-novo-livro-em-bh.shtml

-





RECORDANDO:

César Vanucci-biografia

O jornalista Cesar Vanucci assume na próxima terça-feira, dia 19, o cargo de Presidente da tradicional Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais. A solenidade de posse está prevista, na data mencionada, para as 16 (dezesseis) horas, na sede da Amulmig, Rua Agripa de Vasconcelos, 81, Alto das Mangabeiras, próximo à praça do Papa, devendo reunir numerosos representantes de órgãos culturais e autoridades.

Vanucci foi indicado pela unanimidade dos integrantes da instituição presentes à assembleia especialmente convocada para escolha da diretoria que regerá os destinos da Amulmig no biênio 2016/2018. Atuando há décadas na área cultural, Vanucci é fundador da Academia de Letras do Triangulo Mineiro e foi Superintendente Geral do Sistema Fiemg por quase quarenta anos. Idealizou e coordenou a famosa “Ação Global”, sendo fundador da Casfam – Fundo de Pensão dos Funcionários do Sistema Fiemg. Presidiu a Utramig – Universidade do Trabalho de Minas Gerais, foi Secretário de Abastecimento e Ouvidor Geral da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. Assessorou, na vice-Presidência da República e no Senado Federal, o saudoso José Alencar Gomes da Silva. É cidadão honorário de treze municípios, inclusive Belo Horizonte. Sua produção cultural compreende vários livros, centenas de palestras, atuação como professor de nível universitário e nível médio. É colaborador permanente de vários jornais e revistas há mais de meio século.



---------------------------*------------------------

2-César Vanucci 2

Cesar Vanucci nasceu em Pouso Alegre (MG). 
Em Uberaba, ainda como estudante secundarista, revelou-se participativo, dinâmico e cheio de iniciativas. 
Foi um dos fundadores e presidentes da União Estudantil Uberabense (U.E.U.) e um dos organizadores e presidente dcs três Festivais Universitários de Arte realizados em Uberaba, na década de 1950. Além disso, promoveu, participou e incentivou movimentos religiosos, culturais e classistas. 
Prestou colaboração na Biblioteca Pública Municipal de Uberaba, auxiliando a bibliotecária, jornalista e escritora Iná de Sousa, na década de 1950.
Foi repórter de O Triângulo, redator da Rádio Difusora e do Diário do Triângulo e editor-chefe do Correio Católico. 
Lecionou jornalismo na FISTA e foi um dos fundadores, diretor e professor do Colégio São Judas Tadeu, atual colégio Rubem Alves. 
Em Belo Horizonte, para onde se transferiu em 1966, ocupou inúmeros cargos, entre eles Superintendente Geral da FIEMG e diretor da Rede Minas de Televisão. Criou, como diretor do SESI, o famoso programa "Ação Global". 
Foi titular da Secretaria Municipal de Abastecimento e da Ouvidoria Geral de Belo Horizonte (2006-2009). 
Colabora com treze jornais. É cidadão honorário de onze municípios. 
É membro da Academia de Letras do Triângulo Mineiro, Cadeira nº 9, sendo um de seus fundadores; da Academia Mineira de Leonismo e da Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais.

Paolinelli, Sônia Maria Rezende. Coletânea Biográfica de Escritores Uberabenses. Uberaba (MG): Sociedade Amigos da Biblioteca Pública Municipal “Bernardo Guimarães”, 2009. 58 p
Fonte:


https://www.facebook.com/UberabaemFotos/photos/a.428617477227426.1073741826.421925791229928/877647175657785/?type=1&theater
-//-


LÍNGUA PORTUGUESA.
Soneto Decassílabo Heroico Nº 839

Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil

A Língua Portu(gue)sa de Ca(mões),
Machado de Assis-(Gê)nios do sa(ber)
inteira luz gi(gan)te entre as na(ções)
conduz valor can(tan)te em cada (Ser.)

Impõe respeito, (gló)rias nas li(ções)!
Linguagem pura (cum)pre seu de(ver),
razão perfeita im(pe)de os arra(nhões),
palavra forte, i(ma)gem de po(der).

No linguajar que (fi)no trato al(can)ça
na mente mostra (fúl)gidos le(trei)ros,
reparte a bela (Flor) do Lácio-he(ran)ça.

Sonora e rica (bri)lha pelo (mun)do
e tem na escrita (bra)dos alta(nei)ros:
- Tesouro raro (tem) valor pro(fun)do

-


sábado, 20 de maio de 2017

Ação penal 6 - Ação penal e lei maria da penha- Defensor Público e prof...

Prisão Preventiva na Lei Maria da Penha - Conflito de Leis.

Lei Maria da Penha, dez anos depois


-

Publicado em 13 de ago de 2016
Até 2006, a voz do homem era a mais alta em muitos lares brasileiros. E a mão, a mais pesada. Nos últimos dez anos, a voz e a mão podem ter se mantido as mesmas, só que a mulher tem uma lei para recorrer contra o grito, o assédio psicológico, a agressão física. A restauradora de obras de arte Ana Lúcia Pecoraro mostra o rosto e conta sua história de violência. E dispara a primeira polêmica para o Caminhos da Reportagem: “a lei Maria da Penha deveria ser contra a violência doméstica, da intimidade da sociedade, onde filhos veem um pai bater na mãe e homens também são agredidos.”
A discussão segue entre feministas, agressores, um homem agredido pela mulher e especialistas que traçam o mapa da violência no país, que contabiliza 50 vezes mais homicídios de mulheres do que países desenvolvidos. O Caminhos ouviu mulheres de todas as faixas sociais, vítimas ou não de violência doméstica, para mostrar o que a sociedade e o Estado devem fazer para fazer a lei Maria da Penha ser bonita no papel e fora dele.

Como garantir a proteção da mulher que denunciou? Como denunciar em uma delegacia fechada à noite e nos fins de semana? Onde deixar os filhos quando a vítima vai para um abrigo? São perguntas que a sociedade e o Estado têm de responder quando surgem as brechas da lei.
Reportagem: Priscila Kerche
Produção: Aline Beckstein, Eduardo Goulart de Andrade, Thaís Rosa, Allan Correia (estagiário)
Apoio à produção: Antonio Azevedo (EBC – Maranhão), Emanuel Bruno (TV Ceará), Francisco José (TV Ceará), Joana Cortes, Nerivan Ramos (EBC – Maranhão), Patrícia Lima, Paula Abritta, Sarah Quines, Tatiane Costa (EBC – Maranhão)
Imagens: Eduardo Viné, Milene Nunes, João Marcos Barbosa
Auxílio técnico: Edgar Monteiro, João Batista de Lima, Leandro de Oliveira
Apoio às imagens: Daniel Teixeira, Edivan Viana, Jefferson Pastori, Rafael de Carvalho, Rogério Verçosa, Sandro Tebaldi, William Sales
Apoio operacional: Antonio Blanes, Carlos Gigliotti, Guilherme Scarazatto, Leticia Botelho, Priscila Stibich, Rafael Costa
Edição de imagens e finalização: Jéssica Saccól, Maikon Matuyama, Rodger Kenzo
Roteiro e direção: Bianca Vasconcellos

EXERCÍCIOS- LEI MARIA DA PENHA -11min 43seg-Vale a pena conferir!

Lei Maria da Penha - 11.340 de 2006 - Parte 01-38 minutos

Documentário "10 Anos da Lei Maria da Penha: O que esperar da próxima dé...

Violência contra a mulher e Lei Maria da Penha - Maratona de Atualidades

Programa Profissão Repórter Violência Doméstica (05/07/2011) Completo Pa...

Violência Doméstica - GAVA

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Violência Doméstica CSTAPO

sexta-feira, 19 de maio de 2017

MURILO FERREIRA DOS SANTOS-Presidente do INBRADIM




-

-
                                                                 

                                                                       Patrono: D. João



-


-




MURILO FERREIRA DOS SANTOS-Presidente do Instituto Brasileiro de Estudo e Pesquisa Direito Militar-INBRADIM
-
Homenagem-acróstica nº 6389
Por Silvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil
-
M-Murilo Ferreira dos Santos, Coronel/PMMG,
U-Um Militar com Mestrado na FEAD/Minas Gerais;
R-Reconhecido merecidamente, Presidente-de-Honra do
I-INBRADIM, aplaudido, ilustre Presidente-Fundador,
L-Ligado à vigente Comunidade Jurídica Brasileira, com
O-Objetivos de caráter científico e outros conhecimentos.
 -
F-Fez Curso de Formação de Oficiais, obteve Graduação;
E-É Bacharel-Graduado em Direito pela FEAD-Minas Gerais;
R-Reverenciado com Especialização em Segurança Pública;
R-Referência no Curso de Política e Estratégia/ESG/RJ,
E-Esteve na ADESG/MG-Escola Superior de Guerra/MG!
I-Inúmeros Cursos e diferentes Áreas de atuação;
R-Registrou carga horária de Extensão Universitária de
A-Adaptação para Juízes Militares, Tribunal de Justiça/MG;
 -
D-Dentre outras participações no Fórum Brasileiro,
O-Organizado pela Segurança Pública: Membro-Efetivo
S-Significativa presença no Encontro Internacional
 -
S-Sobre a História Militar. Participações brilhantes.
A-Atualmente Diretor-Presidente do INBRADIM.
N-Nos seus livros e publicações, notas importantes:
T-"Transição Penal' merece nossa recomendação,
O-Orienta aspectos teóricos e práticos, nas auditorias/JMMG,
S-Seu lançamento pela Editora INBRADIM, em 2016.
                     ---PARABÉNS!---
Belo Horizonte, Minas Gerais, 19 de maio de 2017.
-
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/6003827
-
http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br/2017/05/murilo-ferreira-dos-santos-presidente.html
-
CONVITE ESPECIAL
Coquetel de inauguração
INBRADIM

O Presidente do Instituto Brasileiro deEstudo e Pesquisa de Direito Militar - INBRADIM e equipe Rodobens-sede Minas Gerais, convidam para a atividade litero-cultural, com coquetel de apresentação da casa Inbradim, com lançamento da revista Tribuna Castrense, bem como, produtos e serviços para associados.

Local do evento: Inbradim
Organização Rodobens
Realização: INBRADIM.
-
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/6003827
-
http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br/2017/05/murilo-ferreira-dos-santos-presidente.html

-


--


Resultado de imagem para inbradim


GABINETE DA PRESIDENCIA

Of. INBRADIM NR     00000182 /2017 - GAB  
Belo Horizonte /MG, 16 de fevereiro de 2017.

Excelentíssimo senhor presidente,

O INBRADIM – Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisa de Direito Militar – entidade fundada nas Minas Gerais, tendo sua capilaridade estendida em toda nação brasileira tendo como membro fundador o Tenente Coronel PM Murilo Ferreira dos Santos, com imenso prazer  vem oferecer à comunidade brasileira esta iniciativa  pioneira na temática concernente ao estudo do Direito Militar, cujo interesse promover o estudo do Direito Militar no território nacional, resgatando sua importância histórica para a sociedade brasileira, bem como ressaltar a relevância da Justiça Militar para o Estado Democrático de Direito.
Pretendemos ainda, com a humildade que nos nutre, ousar levar à sociedade normas postas e utilizadas com frequência, mas que padecem do desconhecimento e vazio doutrinário. As instituições de ensino brasileiras privadas são sem dúvida o grande alvo a ser buscado junto com as instituições de ensino militares para cumprirmos este desiderato para o qual convido Vossa. Excelência.  A grande marca deste embate é a busca da sinergia no sentido da defesa do estudo do Direito Militar e contribuir, na medida de nossas possibilidades, para o profissionalismo dos nossos Conselhos Militares que têm como palco de atuação as Justiças Militares Estadual e Federal.

O I Prêmio INBRADIM de Produção Filosófico-Científica/2017 é promovido, coparticipativamente com entidades literoculturais, filosóficas ou tecnocientíficas e outros parceiros e colaboradores, pelo Instituto Brasileiro de Estudo e Pesquisa de Direito Militar – INBRADIM e pelo respectivo Curador, denominados Copromotores os dois últimos, com vistas na produção escrita de ensaios e relatórios de pesquisa metodológica sobre o universo epistêmico do Direito Militar.
Somente serão inscritos e avaliados no Certame – em pauta - textos de áreas temáticas valoráveis em prol da inovação, avanço e modificação positiva do Direito Militar – os seguintes conteúdos epistêmicos: Direito Penal- Militar; Direito Processual-Penal-Militar; Direito Administrativo-Militar, prioritariamente de natureza disciplinar-militar; Direito Previdenciário-Militar; Direito Marítimo; Direito Aeronáutico; Direito Ferroviário; Direito Rodoviário; Direito Ambiental; Direito Militar-Comparado; História Militar ou Policial-Militar; História do Direito Militar e linhas de pesquisas, ou áreas de conhecimento afins, ou conexas, ou correlatas, com os incisos a este anteriores, ou entre eles interdisciplinares.

Ao I Prêmio INBRADIM de Produção Filosófico-Científica poderão concorrer Pessoas de qualquer profissão ou qualificação, atendidas as exigências constantes no seu Regulamento. Cada Concorrente poderá inscrever no Certame só um texto (ensaio, relatório de pesquisa ou artigo filosófico, cientifico ou tecnocientífico), em prosa prioritariamente dissertativa, escrito em Língua Portuguesa e inédito, sobre um dos conteúdos epistêmicos, com título, sem nome nem pseudônimo do Autor, estabelecidos também em seu Regulamento.

Aos Vencedores do Certame – assim considerados os Autores cujos textos hajam obtido a média igual ou superior a 8,50 (oito vírgula cinquenta) na escala valorativa de 0 (zero) a 10 (dez) das notas prolatadas pela Comissão Julgadora— serão conferidas, com o respectivo Diploma, a Medalha Príncipe Dom João, cunhada em ouro simbólico, e a respectiva Réplica para lapela, também cunhada em ouro simbólico, mais cinco exemplares da Coletânea (Impressa ou Virtual). Insta salientar que, outras láureas – inclusive pecuniárias – poderão ser conferidas aos Vencedores do Prêmio e respectivos Curador, Julgadores de Textos e Pessoas voluntariamente empenhadas em misteres dispostos neste Regulamento.

O INBRADIM juntamente com seus parceiros busca desenvolver o interesse pelo ensino do direito Militar e a pesquisa jurídica, em geral, estimulando à conquista de conhecimentos e a participação espontânea, de modo cada vez mais intenso, junto à comunidade jurídica brasileira.

Acreditamos que esta missão não se resume aos esforços do INBRADIM, mas também das Instituições Militares, Estaduais e Federais, que a nosso ver podem estabelecer a sinergia para que o Direito Militar se coloque historicamente ao lado dos demais ramos do Direito sem ser diminuído em sua importância.


Por acreditar nesta possível convergência é que venho solicitar de Vossa. Excelência o apoio para implementação e desenvolvimento das atividades concernentes ao evento, dentro dos parâmetros estabelecidos no regulamento, de acordo com nossas necessidades nos termos abaixo:
1.   Divulgação do evento ao público interno através da intranet e os demais veículos disponíveis de forma a tornar possível a participação de todos os atores que produzem e operam as Ciências Militares;
2.   Designação de comissão representativa para assistirem ao evento em 27out17 as 20 horas, na Rua Diábase nr 200 – prado – Clube dos Oficiais da PMMG, Belo Horizonte/MG.
3.   Divulgação do evento as autoridades amigas “mundo social” círculos militares da Academia de Letras João Guimaraes Rosa da PMMG;
4.   Confirmação de agenda de Vossa. Excelência para cerimônia de encerramento em 27out17 as 20 horas, na Rua Diábase nr 200 – prado – Clube dos Oficiais da PMMG, Belo Horizonte/MG.


Oportunamente antecipo agradecimento e renovo protestos de elevada estima consideração e apreço, colocando-me a disposição de Vossa. Excelência aos telefones 31- 25142130 e 989784060.

(a)MURILO FERREIRA DOS SANTOS
PRESIDNTE DO INBRADIM



EXMO.
CEL PM KLINGER SOBREIRA DE ALMEIDA
DD PRESIDENTE DA ALJGR/PMMG

BELO HORIZONTE/MG
-







CRONOGRAMA I PRÊMIO INBRADIM
DATA
DISCIPLINA
RESPONSÁVEL
02/01/2017 a 12/05/2017
Recebimento de inscrições e trabalhos online e através dos correios na modalidade sedex com aviso de recebimento (AR).
Participantes do I Prêmio INBRADIM
12/05/2017
Término das inscrições.
Participantes do I Prêmio INBRADIM
13/05/2017 a 19/05/2017
Consolidação de inscrições e textos.
INBRADIM
26/05/2017
Encaminhamento dos textos validamente inscritos.
INBRADIM / Curadoria
25/08/2017
Proclamação dos resultados.
INBRADIM / Curadoria
27/10/2017
Cerimônia de premiação.
INBRADIM / Curadoria



-




CORONEL JOSÉ GUILHERME DO COUTO (*) - Homenagem-acróstica nº 6093 Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil, Parceira-Assessora na ALJGR-PMMG.



-



Reunião de preparação do evento, com o Presidente Klinger.


CORONEL JOSÉ GUILHERME DO COUTO (*)
-
Homenagem-acróstica nº 6093
Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil,
Parceira-Assessora na ALJGR-PMMG.
-
J-José Guilherme do Couto, mineiro,
O-O Coronel Reformado da PMMG é
S-Semeador de poesia [MATER ET MAGISTER
É-Expressões da Alma] na colheita de Amor:
 -
G-Garantido por sua mãe Dona Zulma,
U-(Uma Mestra que se fez Educadora);
I-In memoriam ao Pai David, faz (Elogio
L-Lírico) em [ PEÃO DE BOIADEIRO ];
H-Homenagem à Marta- [LITTLE OWN]
E-Esposa amada; às sogras, filhos e netos,
R-Referência familiar, positiva, realizadora.
M-[MINHA ESCOLA: Meu DI] no Prado Mineiro,
E-Excelência básica militar do saudoso Curso
 -
D-De Habilitação a OFICIAL de grande ideal;
O -O uso diário da (Farda Bege da Paz Social);
C-Cidades, Amigos, recebem (hino de louvor)
O-Ostentado por versos brancos que cantam no
U-Universo de 63 poemas, com (engenho e arte)
T-[TRANSMUTAÇÃO] [MUDEI] [FOLIA DE REIS]...
O-Os [ÁGUIAS DE AÇO], os homens que voam.
-Parabéns! Inesquecível Noite de Autógrafos!
Belo Horizonte, MG, 26 de fevereiro de 2016
-
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/5564764
-
(*) Biografia de Coronel José Guilherme do Couto divulgada nas orelhas do Livro: MATER ET MAGISTER Expressões da Alma
-
Coronel reformado da PMMG. Nasceu em Bom Despacho - Minas Gerais, na Rua do Rosário, no dia 7 de maio de 1950. Veio ao mundo pelas mãos da parteira Dona Alma, uma alemã que trouxe à luz inúmeros bom-despachenses.
Sua mãe, Zulma Corrêa do Couto ( Dona Zulma),  uma nobre e austera professora, muito cultuada nas lembranças de seus ex-alunos.
Seu pai, David José do Couto, um homem das lidas do campo, quando ainda se ouviam os aboios e o soar do berrante pelas estradas.
Iniciou seus estudos no 2º ano do Curso Primário do Grupo Escolar Coronel Praxedes, em Bom Despacho.
O salto do 1º ano deveu-se a já saber ler, escrever e fazer as operações, aprendizado adquirido de acompanhar as aulas particulares que sua mãe dava em casa, para aumentar o orçamento doméstico.
Ainda aos sete anos de idade, mudou-se com a família para Formosa - GO, então fronteira agrícola brasileira, fervilhante com a construção de Brasília-DF.
Ali estudou no Ginásio Arquidiocesano do Planalto, dirigido pelos padres holandeses da congregação dos Sagrados Corações, escola de muita disciplina e seriedade no ensino.
Viveu em Formosa até aos 15 anos, quando se diplomou no Ginásio, cercado pelas exigências culturais de sua Mãe e, na vida saudável da roça, acompanhando seu Pai.
Em 1966, voltou com sua mãe para Bom Despacho, onde se matriculou no 1º Ano Científico no Colégio Tiradentes da Polícia Militar - Anexo 7º
BPM.
Por não haver o 3º Ano Científico na cidade, veio para Belo Horioznte e, 1968, matriculando-se no Colégio Tiradentes Central.
Foi aprovado no Concurso e matriculou-se no 2º Ano do Curso de Formação de Formação de Oficiais da PMMG.
Foi declarado Aspirante a  Oficial PM, na Turma de 1971.
Serviu no 5º Batalhão, Estado-Maior, Gabinete Militar do Governador, Diretoria de Saúde, e comandou o 6º Batalhão (Governador Valadares).
Foi Comandante do Comando de Policiamento da Capital, Diretor de Meio Ambiente e Trânsito
e Diretor de Finanças.
Passou para a Reserva da PM, no dia 31 de dezembro de 1998.
Formou-se em Filosofia, Matemática e Física na FAFI-BH.
Em 2016, é o 1º Vice-Presidente do Clube dos Oficiais da PM/BM, já no 5º Mandato.
Motociclista por diletantismo, é um apaixonado pelas Harleys Davidson e pela vida.
-*-




quarta-feira, 17 de maio de 2017

O Mecanismo (Computador) de Anticitera (legendado em PT-PT)


-

Enviado em 28 de mai de 2011
O aparelho era como uma calculadora astronômica complexa, capaz de indicar eventos passados ou futuros, tais como quando seria a próxima lua cheia, por exemplo ou a posição de determinado planeta num certo dia.
Composto por trinta engrenagens de bronze, feitas à mão, e organizadas de modo a representar mecanicamente a órbita da Lua e de outros planetas do Sistema Solar. Teria tido inicialmente uma caixa ou moldura de madeira, a cobri-lo.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Trem-Bala (Música Autoral) Ana Vilela

TREM BALA - VERSÃO DIA DAS MÃES ( COM LETRA )

Trem Bala (Ana Vilela) - Versão Dia das Mães 2017

SONETO À VERDADE XXXVIII-SOFRIMENTO - Noneto-Poético-Teatral Nº 69-Soneto nº 6.350 Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil Interação com de Klinger Sobreira de Almeida: (Tema: SOFRIMENTO)



-



  Amigos,
 Entre os milhares de testemunhos que já ouvi sobre o SOFRIMENTO, até hoje, o que me causa arrepios foi ouvir de Saul Alves Martins, a história do "presente" que ele ganhou do seu filho "Um quadro  da Santa Ceia"  emoldurado e colocado  na parte superior da porta de entrada da copa de sua residência. No momento do seu pedido, dia 26 de abril de 2005, Saul chorou e eu também. Imaginem quanta dor ele sentiu quando escreveu e entregou-me esta TROVA inédita, para ser publicada, com sua autorização: 
1-Meu quadro da Santa Ceia/ 
2-causa-me agora, empecilho: / 
3- a saudade bate feia,/ 
4-lembrança amarga do filho./ 

Seguindo o TEMA, eis o meu soneto que acompanha a reflexão quinzenal, de Klinger, de meu amado companheiro, por 24 horas, há quase dois anos...Abraços da Silvia.
-

SONETO À VERDADE XXXVIII-SOFRIMENTO
-
Noneto-Poético-Teatral Nº 69-Soneto nº 6.350
Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil(*)
Interação-interpretativa da reflexão de
Klinger Sobreira de Almeida: (Tema: SOFRIMENTO)
-
Milagre existe! Basta então, orar,
frequentemente, sem qualquer medida...
Se Cristo vive em mim, não posso errar;
o SOFRIMENTO dá valor à vida.
-
É uma verdade:_Sinto a dor passar!
Leis do Universo provam dor vencida...
A evolução somente, amor vem dar,
liberta o ser, da fase tão sofrida.
-
Sabe sofrer? _É um sábio...Faço pausa!
Resignação ativa é dom fecundo;
no sofrimento não lamenta a causa.
-
Meditação com o Eu Divino faz
ver passageira a dor que vence o mundo:
_Saber-sofrer com calma encontra a paz.
-
(*)Soneto-Clássico-sáfico-heroico; com sílabas fortes na 4ª, 6ª, 8ª; e 10ª sílabas - Rimas: ABAB, ABAB, CDC, EDE; Noneto com 9 solos: jogral-teatral-toante-cantante-poético: CORO:Rimas: AACEE-somente uma voz com apenas 5 instrumentos musicais . SOLOS: Rimas: BAB-BAB-DC-D-9 vozes acompanhadas por solos de instrumentos musicais. (Noneto musical criado por Villa Lobos). (Noneto poético recriado por Silvia Araújo Motta). Mensagem conclusiva no 14º Verso( Último do segundo terceto).
-
http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br/2017/05/soneto-verdade-xxxviii-sofrimento.html
-


Rastreando a Verdade (XXXVIII)
SOFRIMENTO→Oportunidade de Purificação
Nunca país algum se elevou sem se ter purificado no fogo do sofrimento. 
(Mahatma Gandhi).
O sofrimento! Que divino desconhecido! Devemos-lhe tudo que é bom em nós, tudo que dá valor à vida; devemos-lhe a compaixão, devemos-lhe a coragem, devemos-lhe todas as virtudes... (Anatole France)
7,2 bilhões! População da terra. Uns dois bilhões vivem abaixo da linha da miséria, concentrados, mormente na África, Ásia e América Latina. Outro grande número, além da pobreza, luta para sobreviver num clima de violência ou morre ingloriamente (vide bombardeios químicos, fugas arriscadas no Mediterrâneo, ataques terroristas...). São sofredores permanentes. Já nem sentem dores.
Acima dos párias, miseráveis e pobres, há os que, apesar das incertezas, angústias e perigos, podem viver com certa “dignidade”. No topo, os detentores da riqueza mundial; milhões que edificam o império das injustiças sociais.
Todos estes terráqueos – almas em passagem fugaz – estão, salvo alguns em missão, atravessando estágio de “provas e expiações”. Estas implicam em sofrimento: físico ou psíquico.  A dor, inevitável, mas de temporalidade e gradações diferentes, pode vir de várias formas: doenças, acidentes, torturas físicas ou morais, violências, fome aguda ou crônica, subjugação aos vícios, perda precoce de entes queridos, destruição da família ou incidência de problemas graves, tédio, crise existencial, evaporação do patrimônio material...
A permanência no sofrimento é exceção. Normalmente, a vida caminha, mesmo por trilhas ilusórias, na busca da felicidade. A maioria ilude-se com o TER, e nele navega feliz, esquecendo-se do SER.  De repente, o golpe, o açoite violento em suas variantes jamais cogitadas. Se abrirmos nossa janela ao mundo, veremos a sucessão de   imensas tragédias, individuais ou coletivas – produto do engenho humano ou fenômeno da natureza. A temporalidade da dor depende da administração do evento danoso.
O sofrimento é inexorável. Vem quando menos se espera. Emerge quando tudo parecia certinho e bem engrenado com os TERES abundantes: poder, riqueza, honrarias etc. Nessa inexorabilidade, o segredo do Ser Humano em sua travessia terrena consiste, alinhando-se em Huberto Rohden e outros avatares, em Saber Sofrer. Duas premissas:
Primeiramente, entender que, na acontecência do sofrimento, não existe acaso. Tudo o que nos acontece prende-se ao enlace cósmico: não há efeito sem causa.
 Segundo, acolher na ensinança ancestral: o sofrimento é o “fogo que queima” a chaga psíquica, raiz de todos os males (Bem-aventurados os que sofrem, porque serão consolados – Mt 5:4). 
Por derradeiro, aceitar o sofrimento com espírito forte. Sem lamúrias, sem revolta, sem raiva, sem imprecações, sem fuga à vida... Resignar-se, mas de forma ativa. A derrota, jamais. Trazer, de dentro de si, o poder incomensurável da Substância Primaz (a Essência da Alma) que supera, que avança, que atravessa qualquer sítio inóspito.
Sem sofrimento não há evolução superior, mas perpétua estagnação” – in Porque Sofremos, H. Rohden. Assim, é apoteótico para a Alma, em sua trajetória cósmica nesta fugaz travessia humana, ultrapassar o momento do sofrimento com altivez e vê-lo desfazer-se à retaguarda. Constitui um reconhecimento fundamental de que a vida é uma Dádiva Divina e, filhos do Criador Incriado, jamais seremos abandonados ou remetidos à treva eterna: SOFRIMENTOOportunidade de Purificação.
Klinger Sobreira de Almeida – Mil. Ref.
Membro Fundador-Efetivo ALJGR/PMMG
http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br/2017/05/soneto-verdade-xxxviii-sofrimento.html
---------------------------*---------------------------